O Paraíso N’um Abraço

abraço gatinhos

De querer-te de manso e de leve,
Iluminando os contornos de minhas visões
Quero-te arrebatadoramente também
Quero-te confusamente em turbilhões.

No amanhecer dos dias ligeiros
Com beijos cheirando a lírios partidos
As nuvens percebem nossos passos
E nossos corpos, no abraço, recolhidos

Como se não fosse o sentimento bastante
Ainda procuro viver em outros modos,
Mas a vida completa é só a da gente.

Quando comungamos o mesmo ar e espaço
E o mesmo sorriso dente a dente,
Sabemos: o paraíso é dentro d’um abraço!