Sobre essas nuvens que não se demoram…

Uma ampulheta desvirtuada
Prostitui-se sem afago
Sob as nuvens que não se demoram
E eu, que temi a chuva esta tarde
Quebrantei em soluços a mesma visão amalgamada da brevidade.
Foram sonhos que se lançaram sobre relâmpagos
Continuar lendo “Sobre essas nuvens que não se demoram…”

Anúncios