Das Lembranças

É claro que a gente lembra
Daquelas músicas que ouvíamos junto
Próximo a algum cheiro de primavera
Eu sabia que as coisas mudariam
E temia o que a lua poderia trazer
Logo ao anoitecer
Naquele mesmo dia.

E como foram-se os anos!
Todas as lembranças se propulsaram
Juntaram-se a outras e também mudaram
Minha forma de pensar
Todo o sentimento vai se transformando
E onde quer que nos encontremos
Cabe a nossos passos serem mais fiéis
A tudo que o um dia planejamos.

Aqueles sorrisos que tivemos
Estão ainda em algum lugar?
Escritos, como promessas que se eternizaram…
O coração puro saberá perdoar?
Será que em outra vida nos reencontraremos?
“Muda, tudo muda…”
Será que nos reconheceremos?
Por mais que eu tente avançar
As correntes e espinhos estão sempre espalhados
Por onde eu tento trilhar.

Naquela hora primeira,
Onde meu amor me lembra quem eu sou,
Temo perder a glória que um dia esteve
Espalhada por todo o meu ser.

Ainda que não me seja permitido saber
Os rumores do futuro
Já avisto a queda do muro
Logo ali, ao crepusculecer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s